Anna Oliveira

(Quase) Férias!

Oi! Julho costuma ser época de férias, Camp NaNoWriMo e um alívio para juntar mais forças pro restante do ano. Para mim, Julho (junto com Agosto) vai significar outras coisas: casamento, lua de mel e mudança.

É por isso que vou tirar “férias” do blog. Manter a constância de publicar algo aqui toda semana é uma conquista pra mim; mas também é importante saber ter equilíbrio e aproveitar cada momento.

Logo, logo estou de volta! Assine a news pra receber email quando eu voltar: clica aqui.

Até o dia 20 de Agosto!

twitter | instagram | snapchat | e-books

Confiança

É tudo vaidade e, com o passar dos anos, enfado
Continuo me importando sabendo que o mais importante não posso ver
Deus, me perdoa. Estou cega pra Você

O que mais me anima é lembrar de Jeremias
Suas misericórdias se renovam a cada dia
Toda manhã tenho uma nova chance pra mudar a ótica de como viver

“Não confie, pois, na vaidade, enganando-se a si mesmo, porque a vaidade será a sua recompensa.” (Jó 15:31)

twitter | instagram | snapchat | e-books

Covarde

Todos os dias, ela acordava em pânico. Pesadelos com o pai, a mãe, as irmãs, a avó. Começou a namorar e seu maior medo tornou-se perdê-lo. Conhecia um novo nível de pavor toda vez que acordava.

Não era amor por eles. Era um medo egoísta. Seu maior terror seria ficar sozinha.

Este e outros minicontos foram publicados no app Diminuto.
Clique aqui para ler todos.

twitter | instagram | snapchat | e-books

Como pode?

“pois é Deus quem efetua em vocês tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa vontade dele.” (Filipenses 2:13)

twitter | instagram | snapchat | e-books

Da Janela

A lua sobe e o céu escurece
As luzes se apagam, algumas poucas ficam acesas
Uma luz no quarto
Uma luz no banheiro
Uma TV piscando na sala
Uma geladeira aberta com alguém em frente à ela
Cada um vivendo a sua vida
Cada um tendo a sua própria rotina (ou a quebra dela)

Cada um em seu canto, cada um em seu quadrado
Durante o dia, foram os quadrados do escritório
À noite, são os quadrados de cada prédio
Apartamento, casa, quarto de hotel
Cada um com a sua vida

Cada um com a sua vida
e eu aqui bisbilhotando cada uma delas

Cada um tem sua vida
e continua assim:
Cada um com a sua própria vida (ou a falta dela)

twitter | instagramsnapchat | e-books

Sem Atalhos para o Amor: Meu segundo e-book

Publiquei meu segundo e-book na Amazon!

Não, não é outro livro de poesias. Este e-book conta a história da Clarice e do Rafael, personagens que nasceram lá em 2013. Depois de tanto tempo, decidi desengavetar esses diálogos e estou muito feliz com o resultado. Olha a sinopse:

A partir de alguns esbarrões no corredor e de um pedido inesperado, Clarice e Rafael vão descobrir que o amor acontece nas entrelinhas de cada diálogo.

Você pode ler e/ou comprar a história clicando AQUI. O e-book está disponível para leitura gratuita no Kindle Unlimited (dá pra aproveitar 30 dias de teste). E também tem uma versão em inglês!

Por favor, dê seu feedback quando terminar a leitura. Faça uma review/avaliação na Amazon e indique a leitura para os seus amigos. Isso ajuda bastante. ❤

COMPRE SEM ATALHOS PARA O AMOR
No Shortcuts for Love
(versão em inglês)

twitter | instagramsnapchat | e-books

Vida corrida

Cada dia um novo pepino. Uma nova batata. Alguns dias, havia toda uma salada! Problemas aqui e ali. Era tanto problema que não acabava. Coitada dela… Tinha uma hortaliça completa e, apesar dos estresses, se dava bem com ela.

twitter | instagramsnapchat | e-books

CLICK

O frio, as cores, a paisagem, as flores… A arquitetura e as ruas! Até mesmo a falta de luz no céu nublado. Os detalhes criavam o cenário perfeito para a garota explorar a cidade histórica pelos olhos analógicos da Lomo nova.

twitter | instagramsnapchat | e-books

Musiquinha pra animar a vida!

Casamento pode mesmo te deixar maluca se você não tomar cuidado então… Pra aliviar a correria dos últimos dias, vamos ouvir o novo single da Mandisa (com participação da linda da Britt Nicole!). Achei a nova música para a playlist de 2017. 😀

twitter | instagramsnapchat | e-books

Triste vida

Ajuntava riquezas e empinava o nariz ao andar. Virava a cara aos amigos. Não queria perder, não queria doar.

A cada dia, novas negociações rendiam mais bilhões. À noite, contava o dinheiro. Estava mais rico, e ainda se sentia vazio.

Soberbo. Ganhava o mundo enquanto deixava sua alma pelo caminho.

Miniconto publicado no Facebook em 09 de Janeiro de 2017

twitter | instagramsnapchat | e-books