Covarde

por Anna Munhoz

Todos os dias, ela acordava em pânico. Pesadelos com o pai, a mãe, as irmãs, a avó. Começou a namorar e seu maior medo tornou-se perdê-lo. Conhecia um novo nível de pavor toda vez que acordava.

Não era amor por eles. Era um medo egoísta. Seu maior terror seria ficar sozinha.

Este e outros minicontos foram publicados no app Diminuto.
Clique aqui para ler todos.

twitter | instagram | snapchat | e-books

Anúncios